Economia
Pontos do cartão podem ser usados para pagar contas básicas ou quitar fatura

Publicado em 19/07/2020 11:33

Reprodução

Viajar deixou de ser o plano de muitas pessoas, devido à pandemia do novo coronavírus. Mas isso não é justificativa para deixar os pontos acumulados pelo cartão de crédito expirarem. É possível usar o benefício para pagar contas básicas de consumo, como as de água e luz; comprar eletrodomésticos e eletrônicos; pedir comida; andar de carro por aplicativo; ou até quitar parte da fatura do cartão.

De acordo com a Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF), no primeiro trimestre do ano, 30,9% do total de pontos resgatados foram para a compra de produtos do varejo. Foi a primeira vez, no histórico da entidade, que esse indicador ultrapassou os 30%, impactado pela baixa procura na troca por passagens aéreas.

Em contrapartida, o volume de pontos e milhas emitido no primeiro trimestre deste ano recuou 1,27%, em comparação com o mesmo período de 2019. O Banco do Brasil (BB), por exemplo, observou uma queda na utilização de pontos em parceiros de milhas, que antes representava a principal forma de utilização no Ponto pra Você. Comparando com 2019, uma das companhias aéreas parceiras teve uma redução de 17%. Já a troca de pontos para o pagamento de contas e títulos subiu 14%.

- CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE -

O Santander afirma que a demanda por produtos não relacionados a viagens triplicou. Segundo a diretora do programa de pontos Esfera, Elaine Watanabe, a transformação no comportamento desses consumidores já vinha ocorrendo desde o ano passado. No entanto, a pandemia acelerou o processo.

— Notamos uma maior procura nos últimos meses por vinhos e produtos para fazer exercícios em casa, além do crescimento no uso do cashback, que permite abater um valor da fatura do cartão — diz Elaine, completando: — Não é mais necessário acumular milhares de pontos para começar a usufruir os benefícios.

Dólar mais caro é vilão

Os programas de fidelidade enfrentam desafios com a crise econômica. Além de benefícios tradicionais estarem menos atrativos, como passagens aéreas, está mais difícil acumular pontos, já que a maioria usa o dólar como base — ou seja, quanto mais cara estiver a cotação da moeda americana, mais gastos a pessoa deve ter no cartão para acumular os mesmos pontos.

— O processo de diversificação do catálogo de resgates já ocorre há algum tempo, mas as empresas de fidelização têm se movimentado ainda mais durante a pandemia para oferecer aos participantes diversas possibilidades — afirma Paulo Curro, diretor-executivo da Associação Brasileira das Empresas do Mercado de Fidelização (ABEMF).

As empresas estão fazendo ofertas e promoções com foco no novo cenário de consumo, ampliando o catálogo de produtos de varejo. Além disso, estão ampliando a validade dos pontos/milhas.

Enquanto isso, as companhias áreas vêm flexibilizando as regras de aquisição de passagens, permitindo a programação futura da data de embarque e liberando as trocas de datas.

O empresário Luiz Felipe Munhoz, de 34 anos, sempre buscou acumular pontos para trocar por passagens aéreas. Agora na pandemia, está de olho em promoções e oportunidades que as empresas oferecem:

— Sempre paguei tudo no cartão de crédito para conseguir acumular mais pontos. Na quarentena, estou usando até mais. Trocar pontos é uma forma de fazer o dinheiro render mais. E, para isso, acompanho as promoções de transferência de pontos por meio de um aplicativo de gestão de pontos de fidelidade, o Oktoplus, para que eles rendam mais. Meu foco sempre foi para viajar. Mas, agora na pandemia, eu estou preferindo gastar em lojas parceiras dos programas. Vejo pelo aplicativo onde estão as oportunidades e os maiores descontos. Recentemente, eu troquei por um robô-aspirador. Comprar utensílios para casa tem sido bastante útil. Mas também continuo juntando para trocar por passagens aéreas mais para frente, inclusive, comprei uma para novembro.

 

 

 

Escolha adequada do melhor cartão

Acumular pontos no cartão de crédito pode ser uma boa estratégia, mas para quem tem disciplina financeira. Segundo os educadores financeiros, não se deve escolher um cartão somente pelo que ele oferece de pontos.

— Ele pode ser um excelente aliado no planejamento financeiro. Mas é preciso escolher o que mais atende às suas demandas. Identifique a sua necessidade e busque a solução adequada. Caso contrário, você receberá um produto e na maioria dos casos, pagará anuidade por um serviço que não será a solução desejada — afirma Paula Sauer, economista e planejadora financeira.

Ao escolher um cartão que acumule pontos, é importante não deixar que eles vençam. Depois, a dica é pesquisar onde estão as promoções e os produtos que você deseja comprar. Pode ser no próprio programa do banco ou ser mais vantajoso transferir para onde tem algo mais interessante (uma loja de varejo, por exemplo).

— Nem sempre usar dentro da própria instituição será a melhor alternativa. O banco será mais um intermediário entre você e o prestador de serviço. Dessa forma, em muitas ocasiões, o mais adequado é transferir direto para a operadora de serviços que oferece a solução desejada.

Um jeito de verificar isso é se cadastrando em programas de pontos e usando aplicativos de gestão, que podem mostrar também onde se tem bônus fazendo transferências.

— Fique atento às promoções de bônus que os programas das companhias aéreas oferecem, pois você consegue ter a chance de ganhar até 100% de bônus. Muitas vezes se pode comprar o mesmo produto com 50% ou mais de desconto fazendo essa transferência — afirma Bruno Nissental, presidente da Oktoplus, aplicativo de gestão de pontos de fidelidade.

E mesmo os programas das companhias aéreas estão oferendo cada vez mais produtos e serviços. Segundo os dados da Oktoplus, que gerencia mais de 21 bilhões de pontos, a Latampass teve um crescimento de 1.000% em trocas por vouchers de desconto. Já nos outros programas como Smiles e Livelo, a busca aumentou pelas principais lojas varejistas do mercado (Polishop, Magalu, Netshoes, Ponto Frio etc.).


Postado por Redação

Publicidade

©Copyright 2007-2017 Todos os direitos reservados

ArarunaOnline.com