Publicidade
Nice Almeida
Paraibana sim senhor! Jornalista, mãe e pai (ao mesmo tempo), tia, filha, amiga, dona de casa.
Nice Almeida /
Postado em 07-05-2014 às 17:25
O trauma do Trauma

A polêmica da atualidade na Paraíba são os gastos exorbitantes e supostamente fraudulentos da Cruz Vermelha no Hospital de Trauma Senador Humberto Lucena, em João Pessoa. O ba,fa,fá tem razão de ser, porque há, segundo relatório do Tribunal de Contas da Paraíba (TCE-PB), gastos com aluguéis caríssimos, que fogem a realidade da capital paraibana. Também na lista de irregularidades compra de sapatos que nunca foram vistos no hospital, pagamento de supersalários, gastos com viagens que ultrapassam os R$ 600 mil, etc.

Curta a fanpage do Araruna Online no Facebook e receba as últimas notícias

Porém, dentro de toda essa polêmica o que não se entende é: onde estão os órgãos fiscalizadores que não tomam uma atitude com relação a isso?

A impressão que se tem é que ficam todos de braços cruzados esperando, literalmente, a morte chegar sem se tomar uma única atitude que cancele de forma imediata esse contrato, já comprovado, vergonhoso feito pelo governo do estado e a Cruz Vermelha, que venhamos e convenhamos não mudou em nada a realidade do Trauma de João Pessoa.

Quando se questiona autoridades do tipo, Ministério Público, eles respondem que viram o caso na imprensa e só. Contudo, esses órgãos que só viram o caso são os mesmos que foram criados para fiscalizar esses absurdos cometidos com dinheiro nosso, que saem de nossos impostos e que são utilizados para fins supostamente escusos.

Têm o papel de fiscalizar, também, os deputados estaduais e federais. Esses têm feito, pelo menos, barulho na Assembleia Legislativa. O barulho não resolve, mas ajuda a não deixar o povo paraibano esquecer o fato.

O deputado Trócolli Júnior, por exemplo, dia desses denunciam falta de medicamentos básicos como antibióticos e antiflamatórios na farmácia do Trauma. E como explicar que um hospital que gastou R$ 600 mil em passagens para médicos e diretores não tenha sequer um analgésico para oferecer aos seus pacientes?

Mas, a falta de remédios não é o único problema do Trauma e nem o maior. Há testemunho de pessoas que têm passado mais de três meses esperando por uma cirurgia no hospital, ficando expostos ao risco de infecções hospitalares, que só pioram a situação de acidentados.

Alguns pacientes me confidenciaram que, segundo os médicos, a demora na realização das cirurgias é porque o hospital fica no aguardo de que tenha um determinado número de pessoas na espera para que venha um especialista de Brasília fazer as cirurgias de uma vez só.

Os relatos só provam o que está contido no relatório do TCE. A verba pública entregue a Cruz Vermelha tem servido pouco para quem realmente precisam, os pacientes paraibanos.

É vergonhoso! É lamentável! É terrível!

Nice Almeida
Jornalista - DRT 2660
Por: Nice Almeida
Compartilhe:
Comentários ()
Twitter #ararunaonline
ArarunaOnline.com - Copyright © 2007-2017.
Todos os direitos reservados.
Contato | Quem somos | Termos de Uso
-->