Publicidade
Nice Almeida
Paraibana sim senhor! Jornalista, mãe e pai (ao mesmo tempo), tia, filha, amiga, dona de casa.
Nice Almeida /
Postado em 10-03-2014 às 15:42
HPV sem preconceito

Os relatos de rejeição são constantes: alguns pais não estão autorizando suas filhas a serem vacinadas contra o vírus HPV por acharem que assim estarão as incentivando a ter uma vida sexual ativa. Essa constatação vem de funcionários de escolas públicas e de Postos de Saúde da Família que têm tentado preparar as famílias de jovens de 11 a 13 anos de idade para autorizarem a vacina nessas meninas.

Nada disso gente!

Ao permitir que suas filhas sejam vacinadas vocês as estão prevenindo de serem acometidas, no futuro, por uma doença grave e muito séria que pode levá-las a morte, o câncer no colo do útero, considerado o segundo maior causador de morte entre as mulheres no Brasil. Ao autorizar que sua filha seja vacinada você estará zelando pela vida dela e a estará preparando para um futuro saudável.

Na Paraíba são 104.710 adolescente nessa faixa etária esperando que seus pais ou responsáveis tenham o cuidado de mantê-las longe desse mal.

O governo federal se preparou bem e preparou muito bem os estados e municípios para essa vacinação. É imprescindível que nossas jovens não percam a oportunidade de ter acesso a essa vacina de graça, já que no serviço privado o remédio é muito caro.

A vacinação ocorrerá em três doses: a primeira a partir do dia 10 de março; a segunda seis meses depois; e, a terceira cinco anos após a primeira dose.

Segundo dados do Ministério da Saúde, essa vacina previne infecções pelos tipos virais e, consequentemente, o câncer do colo de útero, reduzindo a carga da doença. Tem maior evidência de proteção e indicação para pessoas que nunca tiveram contato com o vírus. É destinada exclusivamente à utilização preventiva e não tem efeito demonstrado ainda nas infecções pré-existentes ou na doença clínica estabelecida.

Portanto, a vacina não tem uso terapêutico no tratamento do câncer do colo do útero e sim, exclusivamente, preventivo.

É uma das maiores campanhas realizadas na área da saúde. É preciso que nós nos desfaçamos de qualquer tipo de preconceito ou tabu para evitar que um mal maior atinge nossas meninas.

Nice Almeida 
Jornalista - DRT 2660

"Nada em mim foi covarde, nem mesmo as desistências… Desistir, ainda que não pareça, foi meu grande gesto de coragem". Caio Fernando Abreu

 

Por: Nice Almeida
Compartilhe:
Comentários ()
Twitter #ararunaonline
ArarunaOnline.com - Copyright © 2007-2017.
Todos os direitos reservados.
Contato | Quem somos | Termos de Uso
-->